Notícias

Inscreva-se em nossa newsletter

NBR ISO 16890: conheça a nova norma

O ar puro, sem riscos e com extrema qualidade é um direito do ser humano e, também, para que se tenha um futuro muito melhor, precisamos nos preocupar com o ar que respiramos. E a publicação da ISO 16890 – Filtros de ar para ventilação em geral pela International Organization for Standardization (ISO) tem justamente essa finalidade. Afinal, essa norma define os procedimentos de testes e os sistemas de classificação para os filtros de ar que são utilizados nos equipamentos responsáveis por realizar o tratamento do ar baseados nos tamanhos de partículas estudados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

As consequências da poeira fina, presente no ar, são evidentes. De acordo com a OMS no ano de 2007 mais de 7 Milhões de pessoas morreram no mundo todo em decorrência de doenças respiratórias ligadas a má qualidade do ar. Sendo assim, fica ainda mais evidente a extrema necessidade de se contar com sistemas de filtragem no ar-condicionado que façam a separação da poeira fina do ar exterior. Essa é uma contribuição importantíssima para a manutenção da boa saúde das pessoas.

Levando em consideração os estudos realizados pela OMS desde 2005 a nova ISO 16890 traz uma correlação dos tamanhos de particulado mais prejudiciais a saúde humana com as eficiências de filtragem dos filtros. As partículas de PM 10 podem chegar até as traqueias por meio do canal nasal do indivíduo. Já aquelas de PM 2,5 podem atingir os brônquios, bronquíolos e os alvéolos. E as ultrafinas, com diâmetro menor a 0,1 μm podem entrar até no tecido pulmonar e atingir a corrente sanguínea das pessoas causando vários problemas que podem chegar a um AVC. A consequência de tudo isso? Comprometimento da saúde e do bem-estar. A gravidade pode variar de acordo com o nível de penetração e o tamanho das partículas.

As doenças ocasionadas podem ser inofensivas, como irritação e inflamação das mucosas, entre outras, como também podem ocasionar alterações da função reguladora do sistema nervoso do indivíduo.

A norma ISO 16890

A fiscalização da aplicação da lei e de todas as regulamentações será de responsabilidade da vigilância sanitária municipal, estadual e da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Inclusive, as Delegacias do Trabalho também são órgãos que podem realizar tal fiscalização.

Conforme está disposto na Lei 6.437/77, que trata das infrações à legislação sanitária federal, as multas podem variar, de acordo com o risco, recorrência e tamanho do estabelecimento. Entre as penalidades previstas em lei, estão as multas, que podem variar entre R$ 2.000,00 a R$ 1,5 milhão, sendo dobradas na reincidência, além de sanções civis.

A iniciativa da publicação dessa norma consiste em correlacionar as classificações dos filtros de ar em relação ao tamanho das partículas estudadas pela OMS além de harmonizar duas normas já existentes no mercado: EN779:2012 e a ASHRAE 52.2:2012. Dessa maneira, não haverá mais nenhum tipo de confusão comparativa e, a partir disso, será muito mais fácil determinar o valor agregado do produto e suas aplicabilidades.

Além de melhorar a capacidade de cumprir os padrões de qualidade do ar, a nova norma estabelece que a eficiência do filtro agora seja medida a partir de três frações de partículas:

  • Todas as partículas até 10 μm, ePM10;
  • Todas as partículas acima de 2,5 μm, ePM2,5; 
  • Todas as partículas até 1 μm, ePM1.

Tal procedimento possibilita que seja feita a seleção do melhor filtro para uma concentração específica de partículas locais no ar atmosférico tornando o desempenho do filtro em laboratório mais próximo do desempenho nas instalações. Dessa forma, a eficiência de filtragem mencionada tem maior precisão.

Bom, com a nova publicação da ISO 16890 a atenção é voltada para os efeitos adversos que as poeiras finas trazem à saúde humana. Todos os testes e procedimentos adotados para a classificação possibilitam a melhor escolha dos filtros, tomando como base a eficiência desejada para a fração de partículas aplicáveis. Essas novas determinações resultam em uma seleção mais assertiva dos filtros, o que proporcionará uma melhoria muito significativa da qualidade do ar.

 

Sensor 360®: a solução que trabalha em conjunto com a ISO 16890.

Ideal para fazer monitoramento de quedas de pressão, para assim, determinar o momento exato que a troca do filtro deve ser realizada, a AAF Flanders conta com a tecnologia Sensor 360®.

Para saber mais, clique aqui.